Waiting for forever

"Há um momento na vida, em que ficamos impotentes. Impotentes com esperança e confiança. Até que algo grande de mais para ser entendido, acontece. E tudo muda para sempre. É algo tão puro e bom que nem percebemos, porque é assim quando não sabemos de nada."


"Dear Emma,
Essas duas palavras: "Dear Emma", levam-me a uma outra época quando escrevíamos cartas, depois que os meus pais morreram. Eu contava-te sobre os meus novos amigos e a minha nova vida. E tu contavas-me como os teus pais estavam felizes. A verdade não é nada. O que acreditas ser verdade é tudo. E eu acreditava que iria ficar contigo para sempre. Para sempre. E demorei tanto tempo a escrever-te, porque percebi que fui um tolo. Passei toda a minha vida enganando-me. Toda a carta que escrevia, era uma carta de amor. Como poderia ser outra coisa? Agora posso ver que todas, menos esta, eram ruins. Cartas de amor ruins imploram pelo amor. Certas de amor boas, não pedem nada. Esta, tenho o prazer de anunciar, é a primeira carta de amor boa para ti. Porque não há nada mais para fazeres. Já fizeste tudo. Tenho memórias tuas que durarão para sempre. Por favor, não te preocupes comigo. Eu sou "perfeitinho" de verdade. Tenho tudo. Se pudesse pedir um desejo, seria de que a tua vida te desse o gosto de alegria que me deste. Que sintas o que é amar.
Do teu amigo eterno,
Will"

44 comentários:

  1. Ainda bem que gostas daquilo que eu escrevo, querida :$ E espero que a queima tenha sido perfeita - tal como este textinho!

    «Cartas de amor ruins imploram pelo amor. Certas de amor boas, não pedem nada.» - Isto diz tudo. Nada posso anexar :) LINDO!

    ResponderEliminar
  2. Ainda bem que gostas daquilo que eu escrevo, querida :$ E espero que a queima tenha sido perfeita - tal como este textinho!

    «Cartas de amor ruins imploram pelo amor. Certas de amor boas, não pedem nada.» - Isto diz tudo. Nada posso anexar :) LINDO!

    ResponderEliminar
  3. Estou bem :') embora estivesse melhor nas férias :P
    E tu, como estás? Como foi trajar? *.*

    O texto está mesmo bonito :')

    ResponderEliminar
  4. oh então de nada querida (:
    tens toda a razão **
    obrigada pela força!

    ResponderEliminar
  5. não tem mal nenhum, minha querida. eu também não tenho vindo muito aqui :)
    estou bem, obrigada. e tu? *

    ResponderEliminar
  6. não tem mal nenhum, minha querida. eu também não tenho vindo muito aqui :)
    estou bem, obrigada. e tu? *

    ResponderEliminar
  7. não precisas de agradecer. Qualquer coisa, já sabes :)

    Tu és forte, e vais conseguir ultrapassar isto e ser MUITO feliz!

    ResponderEliminar
  8. O primeiro selo que tens lá querida, é para uma tal Biia Santos, o meu url do blog não está lá :$

    ResponderEliminar
  9. Tem selinho pra você lá meu cantinho flor, grande beijo :*

    ResponderEliminar
  10. Obrigada minha querida, de coração <3

    ResponderEliminar
  11. Obrigado Raquel...es muito kerida!
    gostei bastante desta carta.bjinhos

    ResponderEliminar
  12. tenho andado melhor, apesar de ainda andar meia doente :s e tu querida ? *-*

    ResponderEliminar
  13. oh princesa, imagino pelo que estejas a passar :x mereces ser feliz, portanto luta por isso. mostra-lhe que quem perdeu foi ele e não tu! mostra-lhe a garra que tens .. força linda *

    ResponderEliminar
  14. Já vi o filme, é qualquer coisa de divinal (':
    beijinho, e boas escrituras*

    ResponderEliminar
  15. Carta... faz já um certo tempo que não escrevo uma... acho que a ultima foi pra um amor antigo, algo que hoje só me deixou a saudade...

    Isso é um filme?

    ResponderEliminar
  16. de nada,querida *-*
    obrigada,eu também te vou seguir.e eu o teu (:
    kiss

    ResponderEliminar
  17. Como foste tu que partilhaste, achei que o mérito é teu *.*

    Ainda bem que gostaste. É a pura realidade. Por isso é que agora me limito a oferecer partes que constituem o meu todo do coração :)

    ResponderEliminar
  18. claro que sim, tens que avançar na vida (:

    ResponderEliminar
  19. É mesmo um momento bonito :')
    Ainda bem que gostaste *.*
    Vocês podem ter mais do que um padrinho "oficial" ou é um padrinho e depois podem ter pseudo-padrinhos? :)

    ResponderEliminar
  20. exactamente ! assim é que tens de pensar, querida :)

    ResponderEliminar
  21. já está a passar querida *-*
    é mesmo, vale mesmo a pena assistir a um concerto dela (:

    ResponderEliminar
  22. Sei que não foste amor x)
    Ainda bem que gostaste :D
    Obrigado pelo gosto .

    ResponderEliminar
  23. É como nós, aqui :')
    Agora temos que passar aos próximos caloiros o que os nossos doutores nos fizeram sentir :)

    ResponderEliminar
  24. não tens que agradecer, estarei aqui para tudo princesa (:

    ResponderEliminar
  25. a musica ta linda demais..
    o texto me comove demais! ;)

    bjus e bom fds

    ResponderEliminar
  26. eu, felizmente, tenho os meus avós todos. de bisavós, só conheci esta minha bisavó, foi o meu orgulho, e continuará a sê-lo (:
    obrigada pelo apoio, querida <3

    ResponderEliminar
  27. Vão haver alturas para tudo. Se for preciso até os vais pôr a chorar xD

    ResponderEliminar
  28. Eu posso estar muito enganada, mas acho que conseguia :P
    As minhas colegas, quando me viram de traje, disseram que eu impunha respeito e que no próximo ano os caloiros iam ter medo de mim xD

    ResponderEliminar
  29. Sim, é muito bom de ouvir :')
    Só no fim, fim, fim é que podemos ser amigas deles x)
    Temos que lhes dar uma colherzinha de mel. Mas só uma xD

    ResponderEliminar
  30. Ah. Na minha faculdade não é assim. O 2º ano pode praxar. De qualquer das formas, no 2º ano estou eu agora. Para o ano estou no 3º e praxo sem problemas nenhuns (:

    ResponderEliminar
  31. Eu ano passado desisti da Praxe. Decidi fazer este ano :')
    Aqui no Porto também há facs em que é como na tua. Mas na minha, se o segundo ano não praxasse, poucos doutores haviam para praxar porque normalmente os 3º e 4º anos têm estágio.

    ResponderEliminar

«Sonhos não morrem, apenas adormecem na alma da gente!»

Obrigado pelo comentário*